quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

domingo, 28 de dezembro de 2008

Com-Paixão

Como se todos já soubessem. Agora que estas só quero que reflita.
Pensando nas noites perdida, grandes vontades de ter um sentimento de alÍvio de como as horas eram de fato tremendamente um passar de tempo.
Não quero que questione ou se calhe, mas ela passou e você não se encontrou.
Foi como uma vigem ao espaço, eu estava lá, e você aqui... tão longe!
Ela que parecia como uma espécie de guilhotina, sufocando cada vez mais os sentimentos de um pobre coração, Não levado o fato de pensar como isso era tão intrigante. Um gosto amargo que penetrava nas salivas criando um volume ruim. Questionado uma parábola de pensamentos que se passava rapidamente em segundo pela imaginação.
Isso ficava cada vez mais chato, ficava uma agonia, e o coração acelerava, parecia como se tudo fosse automático, uma espécie de mecanismo. Do lado de fora tudo parecia estar bem, a não ser as pernas tremerem e os olhos piscarem rapidamente.
Agora fecha os olhos respire fundo e reflita, um campo verde rodeado de flores e logo a frente uma bela moça de vestido branco, que a cada passo que dava se distanciava mais e mais e mais.
Sabia que estava perdendo-a, mas não queria assumir uma dor forte que me deixava cada vez mais fraco. Oh! Amor de compaixão, aonde fostes que me amargaste um sentimento repleto de dúvidas e dores que não deixava o meu coração em paz ao menos um segundo, queria que ficasse por perto para alimentar as vontades sem exagero de uma longa e tão curta paixão.

Imagine:
Totalmente despreparado para o fato de ela está calada, sozinha e me encarando, era provável que sentisse sede (muita seda). Diante daquela observação respiro fundo e avanço. Sentido toda a importância do momento, percebo que os cinco litros de água que havia bebido converge diretamente para as palmas das mãos, para axilas e para os pés.


Não importa o sentimento, à agonia e o nervosismo, não queria ter a paixão só uma compaixão que me trouxe de volta para a terra.

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Trip Of My Thoughts

Estava tudo fechado, já não tinha mais para onde correr. Minhas ilusões desapareciam a cada segundo. Isso tudo estava voltado para uma atitude desesperadora. A loucura estava tomando conta da minha imaginação, ja não tinha mais vontade de caminhar. Parei numa rua escura e deserta onde só se ouvia o ruído dos cachorros famitos, minha respiração era forte, a adrenalina só ia aumentando... Foi quando escultei um barulho estranho e observei uma sombra refletindo lentamente no muro (mais uma viagem). Continuo andando pela 21.725 esquina, vejo um ônibus vindo em minha direção; não adianta correr ele me segue por todos os lugares, entro dentro do ônibus, vejo um velho barbudo e sujo e quatro pessoas me olhando desconfiadas, sento na última cadeira, e apago.
As viagens já não são mais as mesma, tudo está sumindo de uma forma que eu não perceba, já não consigo controlar minha insanidade mental. Me levanto, olho em minha volta estava dormindo no banco de uma praça, não estou conseguindo me encontrar. Entro dentro de uma lanchonete, sento no lado de uma moça de cabelos cacheados e olhos castanhos claro, peço uma xícara de chocolate quente, dois pães-de-queijo e uma água para o garçom. De fato aquilo tudo parecia muito estranho, só faltava a moça inicia uma conversa comigo. Foi quando aconteceu, ela não só iníciou a conversa como também me roubou um beijo, o melhor beijo (mas uma viagem). Ás 10:15 da manhã estava no terraço de um edifício, como tinha ido parar ali? Meditei durante um bom tempo, estava cansado de tudo aquilo, queria voltar para casa e descansar de verdade.
Ilusões que vão e voltam, minha cabeça estava girando, meu corpo estava cansado, estava entrando no mundo verdadeiramente psicodélico, onde as viagens são constantes, as formas de pensar são muitos loucas e sem entendimento. Não é o fato de sonhar ou imaginarmos qualquer coisa. Criamos nossos pensamentos numa verdadeira subordinação própria, não deixando escapar nossas vontades, sentimentos ou a dura realidade. Estava numa verdadeira paralisação mental, onde o tempo era todo meu.

domingo, 12 de outubro de 2008

Também sei ser infantil.

Viajando no mundo da lua
Fazendo com que o tempo pare.
Tenho medo de crescer, de arrisca a vida nesse mundo.
Queria viver sonhado, pois lá estão as maravilhas,
Não tenho coragem de conhecer novas imaginações.
Não queria mudar para o mundo.
O tempo estar voando lentamente, de um modo que não percebemos,
Viver cada passo, cada momento, isso é muito difícil.
De fato gostaria de viver sonhando...
Sonhando
Sonhando
Sonhando...


Bernard Freire

domingo, 14 de setembro de 2008

Andando

Entrando no mundo despercebido, seguindo em linhas reta.
Onde as ilusões são constantemente formada pela solidão.
Não tenho paradeiro, não tenho destino, minhas pernas são minhas asas.
A noite estar fria, mais escuras que as outras. Vejo pouca gente passando ao meu redor.
O silêncio faz com que de para ouvir perfeitamente o som do vento batendo sobre as folhas.
À noite, a vida, parece serem muito empolgante, ainda não estar na hora de voltar para casa.
Passando por ruas quer não conheço, não sei exatamente o que tem pela frente.
Estou com uma paranóia de que alguém estar me seguindo, mas acho que é somente minha imaginação.
Às vezes é preciso atravessar a rua para saber o que há do outro lado, é preciso arrisca um pouco a vida.
Não da para se pensar em nada, a vontade de andar é maior.
O ar, a solidão, o som dos passos e as horas, tudo estar em movimento.
É preciso voar,
Voar conforme o tempo,
Voar conforme o som,
Voar pelas nossas imaginações, loge de tudo e de todos.
A cada esquina que passo, fico pensando quantas pessoas não já passaram por aquele mesmo local. O que aqueles muros enormes, daquelas casas tão velha não iriam dizer.
Não faço a mínima idéia para onde estou indo, o mundo ficou muito grande de repente, e eu muito pequeno.
Não sinto cansaço algum, só da vontade de andar, andar, e andar.
Parece que o chão pode se mover pelos nossos pés, o passo falseia, tropeçamos e seguimos em frente. Tenho que percorre minhas distâncias.

Continuo Andando...

Bernard Freire

domingo, 10 de agosto de 2008

O que platão anda despertando

Os momentos bons estão cada vez acabando com o meu jeito de conheçer.
Minhas últimas imaginações estão perdendo o fato de ser totalmente psicodélica.
Queria ter uma possibilidade de que de fato estou vivendo realmente.
Estou me atraindo a coisas que não podem ser questionada no dia a dia.
Ao depara-me com o tic-tac do relógio, consigo sentir falta de poucos segundos.
Isso faz com que o tempo fique rodando em torno de mim, de um jeito que eu não perceba.
Poucas coisas são notadas no cotidiano, a verdade é que realmente isso tudo esta mudando.
Tentar questionar algo, pela sua forma, cor, som, parece difícil de se chegar no mundo inteligível.
Isso realmente chegou a um ponto de que fiquemos totalmentes isolados no nosso canto, levando em consideração de que a sobrevivência é individual. Nos deixando sempre apagados da verdade.

A idiotice disso é que não conseguimos notar algo que parece ter uma vida
Saber que a idéia que se tem de algo belo é totalmente voltada para um mundo inteligível,
Coisas difícil de ser entendida, por que vemos e não notamos
De fato somos todos cegos...

Bernard Freire
Últimos dias das férias

Nada
Nada
Nada...

Nada para fazer
Nada para pensar,
Nada para questionar.

Ninguém para se ouvir
Ninguém para conversar
Ninguém para se observar.

Pensei em estar feliz, mas passou um tempo para poder sentir o tédio,
sentir a solidão. Talvez isso não seja minha realidade, talvez um sonho...
Mas nos meus sonhos me sinto bem.
Penso no passado, no futuro (menos no presente).
Um silênsio,
Será que tem alguém aqui?

Bernard Freire

domingo, 3 de agosto de 2008


As noites vieram, os sonhos estavam presente.
Minha nostalgia ficou paralisada, meu futuro ficou paralisado.
Andei por tanto tempo, por lugares que nem percebia.
05:52 am acordo, estão todos adormecidos, vejo o nascer do sol.
O ônibus em movimento, a angústia, a descontração...
Nosso convívio, nossas idéias,
Nossas palavras, nossos conhecimentos.
Debati, adquiri conheçimentos, e ensinei.
Por ae me perdi, por ae conheçi, por ae observei.
Vi o céu, o mar, ruas, prédios enorme lugares famosos...
Agora eu acordo, tudo volta.
Meu cotidiano descongelou tudo,
Porque nossas imaginações continuam...

Continuo andando...

Bernard Freire
Não sabes não fala!
Não viste não fala!
Saber que outras as inventam, é tão imbecil.
Saber que outros falam, é tão imbecil.
Não lhe contaram, não invente!
E a mais bela vizinhaça, e mais filha da puta continua...
Com suas vidas e as dos outros.
Sem ter verdades,
Sem ter éticas,
Sem ter o que fazer.

Bernard Freire

segunda-feira, 14 de julho de 2008

Socialista, Capitalista.
Qual à sua escolha?
O mundo não que saber isso.
O mundo não se valoriza.
Dane-se à tecnologia, dinheiro, as grandes riquezas.
Existem milhares de famílias sem ter o que comer,
Se humilhando aos valores da humanidade, caminhando ao precipício.
Qual à tua idéia, o que pretendes? mudar o mundo?
Se bem que tens à oportunidade.
O que adianta ter o poder e não saber comandar.
Estou angustiado porque classes se dividem, e não sabem dividir.
Estou angustiado porque o mundo muda a agente o tempo inteiro.
Estou angustiado porque falo muito e nunca sei de nada.
O mundo se revolta entre si, e fazem do mundo uma verdadeira reviravolta.
Estamos progredindo ou voltando ao passado?
Estamos vivendo no mundo constantemente...?

Bernard Freire

quinta-feira, 26 de junho de 2008

Sociedade



Em que mundo vivemos!!

Leia o poste abaixo também.

Bernard Freire

Não sei bem ao certo. Tenho que me entender.

Não consigo me encontra, vejo tudo de uma outra forma.

Viagens do meu pensamento

Viagens da minha imaginação

Viagens de outro mundo.

Tudo estar passando tão rápido,

Não tenho como falar pra ela tudo.

Isso estar crescendo cada vez mais aqui dentro.

Tenho que entender à sociedade,

Formas de conhecimento.

Nada mais estar me interessando.

Quero trazer tudo pra perto novamente.

Mas estar tudo se distanciando.

Distanciando

Distanciando

Distanciando...

Agora tente entender você.

sábado, 31 de maio de 2008

Voltando ao Passado

Sentado na frente de casa vendo a nova geração brincando, lembrei-me do meu passado. Dos tempos que ficava com os amigos andando de bicicleta, brincando de se esconder, mãe da rua, tec-tec, tazo, assistindo desenhos animados e várias outras coisas que não me vem a mente. Só agora percebi um detalhe especial, um detalhe que quando somos criança não percebemos. O de não dá valor ao tempo. Quando estava com meus amigos não queria saber se existia hora pra voltar pra casa, se tinha algo mais para fazer ou se realmente eu existia. Pra mim os dias eram eternos. Ao longo desses tempos fui mudando, conhecendo pessoas novas, seres diferentes, idéias antagônicas, idéias semelhantes, idéias e mais idéias e mais idéias... boas e outras nem tanto. Mudando-me constantemente, por dentro e por fora, sem hora marcada, sem data. Percebendo e sem perceber. Tentando criar minha vida do jeito que sempre quis.

Queria saber exatamente como foi minha infância. Apesar de ter vividoa de uma forma muito boa - de certa forma que muitas não tiveram oportunidade, tentando encaixar o passado no presente para não perde muitas coisas (e sim ganhar) - sempre tive meus pensamentos como meu maiores amigos. A consciência como uma mãe que me dava conselho do que fazer e não fazer. Meu avô sempre me dizia que tudo isso iria passar algum dia, e eu nem percebia que isso ia passando. Levava a vida de uma forma totalmente inocente. Queria saber onde estão minhas paixões de quando criança, das coisas que me faziam felizes, de tudo que não tinha que enfrentar.

Eu sei, o mundo é muito estranho.
E para ser feliz aqui, temos que encarar o que nós perdemos.
Nada é sempre igual. O tempo passou ou será que tudo mudou?

sexta-feira, 23 de maio de 2008

sábado, 26 de abril de 2008

Pensei em ter visto alguém aqui



Mudanças sem explicações, palavras perdidas.
Dia a dia levando. O cotidiano sendo sempre o mesmo.
Tudo estar se sufocando, tudo estar piorando.

Cadê as alegrias?!
Cadê os sorrisos?!
Cadê a felicidade...

Não estou mais conseguindo ficar na mesma.
Saber que tudo mudou, saber que perdi tudo.
As palavras fogem, mas os sentimentos ainda permanecem.
Minhas lenbraças não valem mais nada, apesar de ainda estarem na imaginação.

Vontades de continua,
Vontades de pode falar,
Vontades de te ter de volta.

Cadê EU?!
Cadê todos?!
Cadê minha vida?!

Não posso falar nada. Fico calado vendo o tempo passar.
Tudo estar mudando derrepente.
Esqueceu tudo o que passou?
Me trocou pelo presente.
Saiba que nem sempre o presente é como o passado.
Fico pensando que quem sabe no futuro possa ser diferente.

Isso aqui é uma droga!
A saudade aperta e machuca o coração.
Isso tudo é uma droga!
Vontade é droga,
Solidão é droga,
tristeza é droga,
Separação é droga,
Perde tudo é uma droga!

Acabei me viciando nessa droga, isso é uma coisa ruim.
Perdi o sentido da vida, não sei mais como voltar.
Estou preso num buraco escuro, fico gritando...
Estou aqui, estou aqui...
Fico viajando em meus pensamentos, pareço estar no universo,
Tudo estar escuro, vejo o brilho das estrelas bem longe...
Continuo viajando até encontrar alguém.
Ainda tenho muito caminho pela frente, tenho que ter forças,
Não quero que sumas de perto de mim.

ilusão, ilusão, ilusão...

AHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH!!

quarta-feira, 16 de abril de 2008

Pede pra sair, pede pra sair!!

Caiu como se fosse uma árvore, mas deixou raízes.
Vontade. Força. Atitude. O Movimento Estudantil guanhou à batalha.
Onde à insistência e à democracia fala mas alto. Não desistimo fácil!
Um novo reitor nascer na UnB. Todos estão aceitando, "que seja bem vindo".
Confiança é o que não falta do movimento estudantil, foi bem recomendado!

Eu digo AHAHAHAHAH!! Timothy.
Agora pode ficar com essas lixeiras, esse alicate...
Quero saber se isso alimenta, se isso faz justiça!!

O movimento estudantil não é babaca de gente poderosa não!
Se não gostou não insista em fazer de novo, seu Mané!

quinta-feira, 3 de abril de 2008

O que aconteceu?

Será que passou?
Será que ainda estar por vim?

Tudo o que se passa aqui dentro não da pra demostrar do lado de fora. Por que tudo mudou derrepente? Eu sei que estar aí, sempre me observando. Porque não fala nada? Eu te entenderei. Isso tudo tá me deixando confusso. Será que ainda não percebeu? nada estar sendo como era antes. Queria voltar no tempo e ficar parado só naqueles dias, foi tudo tão rápido.
As coisas mudaram realmente ou será coisas da minha imaginação? Isso tudo nasceu de ti, porque se não tudo estaria como antes. Queria te falar, mas nunca consigo. Você estar sempre ocupada pra lá e pra cá, conheçendo gente nova, andando por aí, e eu sozinho como sempre. Imaginado como seria se tudo tivesse sendo como antes, sempre perto um do outro. Isso acabou?

Será que passou?
Será que ainda estar por vim?

sábado, 29 de março de 2008

Pensando Sozinho

- O que aconteceu?
- Não sei, vai sabe.
- Por que anda assim?
- Assim como?
- Sei lá, meio estranho.
- Estou afim de ficar sozinho por um tempo.
- Sei como é. Mas... deveria se animar.
- Se animar com o que?
- Sair por aí, dá uma volta.
- Tá bom! Onde estou me sinto melhor assim.
- Mas hoje é sábado.
- E daí?
- E daí? todo mundo saiu, só ficamos nós dois aqui.
- Se você quiser ir, vá!
- E você, não quer ir?
- Já falei que quero ficar sozinho.
- Deixa de ser assim, vai aproveitar a vida.
- Não tenho aptidão para isso.
- E o que pensa em fazer.
- Sei lá, ficar por aqui.
- Percebi.
- Já que percebeu por que continua insistindo?
- Insistindo em que?
- Em me fazer mudar de opinião.
- Talvez só quisesse lhe fazer se sentir bem.
- Às vezes precisamos ficar sozinho.
- Pra que ficar tão sozinho.
- Pra refletir sobre nós mesmo.
- Nossa! Que profundo isso.
- E aí. Vai continua aí me observando?
- Não. Já estou indo aproveitar "a vida".
- Bom aproveito.
- Você ainda vai ficar pensando?
- Tu não sabes se eu estou pensando.
- Mas eu sei mais do que tu imaginas.
- Tu não sabes o que se pode passar em meus pensamentos.
- Mas devo imaginar.
- Ahh! isso está ficando sem nexo.
- É verdade. O que te deixou assim?
- Não posso falar, se não alguém poderia ficar sabendo.
- Mas eu não sou alguém, ou sou?
- Prefiro ficar guardando isso pra mim.
- Vai ficar assim desse jeito até quando?
- Até quando me der vontade.
- O que te fizeram?
- Não me fizeram nada.
- O que tu fez?
- Não fiz nada.
- Tu está revoltado com alguma coisa?
- Até agora não, mas posso ficar com você.
- Tá bom, desculpa.
- Tu não ias embora?
- Ia, mas sinto que você que dizer algo.
- Não quero dizer nada.
- Tem certeza?
- Só queria falar que as pessoas mudam de uma hora pra outra, sem explicações.
- Só isso mesmo?
- Só.
- Então vou indo. E você?
- Continuarei a ficar sozinho, viajando em meus pensamentos.

terça-feira, 25 de março de 2008

Por onde andei


Primeira sensação de como é estar indo para um encontro estudantil.
As palavras passavam rapidamente pela minha mente. Queria poder gravar.
Tudo ia se superando dentro de mim. As sensações mudavam, não conseguia entender.
Estava deixando de ser um pouco do meu jeito anti-social. As maravilhas estavam por vim.
Afinal tava na hora de mudar.

Conhecendo pessoas!
Conhecendo lugares!
Conhecendo a mim!

As coisas que queria que acontecesse mudou, foi tudo de outra forma.
As palavras fugiam; também eu só ficava na minha, quieto e calado como sempre.

Por que isso acontece comigo?
Por que fico tão calado?
Por que não dou um basta logo nisso, e acaba a história?

Foi por ae que as coisas iam mudando.
Novos interesses, novos conhecimentos,
Novas idéias, novas argumentações.

Queria parar o tempo e levar até onde o meu limite pudesse agüentar.
Aprendir tantas coisas, queria aprender mais. A viagem não foi em vão.
O tempo passou tão rapidamente, agora fica na minha imaginação.

ERECOM tornousse mais uma viagem dentro da minha imaginação.
As histórias ficaram comigo guardadas, as vontades jogarei fora,
as amizades guardarei, as coisas que deixei de fazer tentarei esqueçer.

E o pessoal com qual convivir deixaram lembranças.
E as lembranças são as piores, porque deixam saudades.
E as saudades são as melhores, poque nós faz lembra de que aconteceu uma coisa boa.

Ainda cotinuarei voando!

Até logo!

Mas, Mas, Mas!

Muito cansado,
Muito impaciente,
Muito ocupado.

Mas...

Com muitas idéias.
Com muitas coisas pra falar.
Com muitas coisas para escrever.

Mas...

No entanto to com sono.
No entanto to sem tempo.
No entando to sem paciência.

ERECOM 2008 - Teresina Piauí, foi tudo muito bom!!

Boa noite!!

sexta-feira, 14 de março de 2008

Minha insânidade mental

A sensação de estar longe de um lugar,
mas sua imaginação ainda permite que você esteja lá,
A viagem no interior de sua mente pode levá-lo para onde quiser.
Já se imaginou em estar num lugar impossível de ser estar?
Já se imaginou fazendo coisas fora do normal?
De ter coisas que ninguém tem?
De mora num lugar onde só você sabe?
De fazer coisas que ninguém fez?
Querer voar, estar perto de quem estar longe,
de falar com quem não ouvi...
Nesse exato momento minha imagição se resumi em duas coisas.
Uma é estar por dentro da realidade
e à outra é estar fora da realidade...

Mas fique tranqüilo, relaxe,
é só minha insanidade mental.
É melhor ficar olhando para o tic-tac das horas,
e ficar pensando no que a menina
com o sinal no canto da boca estar fazendo.
Caso não entendeu, é por que realmente temos pensamentos diferentes.

sábado, 8 de março de 2008

A vida é passageira

A coisa mais injusta sobre a vida é a maneira como ela termina. Eu acho que o verdadeiro ciclo da vida está todo de trás pra frente. Nós deveríamos morrer primeiro, nos livrar logo disso.

Daí viver num asilo, até ser chutado pra fora de lá por estar muito novo. Ganhar um relógio de ouro e ir trabalhar. Então você trabalha 40 anos até ficar novo o bastante pra poder aproveitar sua aposentadoria. Aí você curte tudo, bebe bastante álcool, faz festas e se prepara para a faculdade.

Você vai para colégio, tem várias namoradas, vira criança, não tem nenhuma responsabilidade, se torna um bebezinho de colo, volta pro útero da mãe, passa seus últimos nove meses de vida flutuando. E termina tudo com um ótimo orgasmo! Não seria perfeito?

C.C

"A vida é uma peça de teatro que não permite ensaios. Por isso, cante, chore, dance, ria e viva intensamente, antes que a cortina se feche e a peça termine sem aplausos."

(Charles chaplin)

quinta-feira, 6 de março de 2008

Viagem do meu Pensamento


Minha imaginação surta,
Minhas palavras fogem
Minha viagem é insana,
Minhas vontades são as mesma.

Seria bom se tudo fosse
como o meu pensamento,
Você sempre perto de mim.

A loucura da minha mente
Toma conta de todo meu corpo,
Fico viajando nos meus pensamentos.

Você estar em todos os lados,
por onde quer que eu passe,
sempre ali bem perto de mim.

Isso será uma perseguição ou minha imaginação?!

domingo, 2 de março de 2008

Minha Imaginação


Dia estremo,
dia de delírio,
dia paranóico,
dia louco
dia de insanidade.

As alucinações depois de uma leitura,
de uma noitada
de um passeio pela rua,
de uma festa,
de uma viagem alucinate.

Não é o fato de estar sozinho
ou a perda de alguém,
é a minha pura imaginação.

Imaginação,
alegre!
triste!
espreções limitadas.

A solução é ficar viajando!!
A todos uma boa noite de alucinação.

"Ao persistirem os sintomas, o médico e o monstro deverão ser consultados" ?!

sábado, 1 de março de 2008

Brasil, ta mas do que na hora de mudar!!

No Brasil todos os dias, a impunidade deixa
a população refém da violência urbana.
São mães que perdem seus filhos,
amigos que perdem irmãos,
crianças que perdem os pais,
país que perdem cidadãos.

Fazer o que, acabou!


Agora acabou!
Não vou mas ficar-me entretendo,
Sendo manipulado, ou me questionando.

Espero não senti falta disso,
Espero ter mas informações,
Isso que agora já passou.

Mas ele estará lá,
Sempre disponível pra todos!!

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2008

Universidade, tá na hora de mudar!


A verdade é essa? será mesmo?
Temos que falar, bradar, gritar a nossa voz.
Direitos que nós temos e nem sabemos,
Devemos questionar essas prioridades.
Mas prioridade de que?

De ensino qualificado?
De uma bolsa de estudos?
Não ao aumento de mensalidades?
Por uma universidade de qualidade?

Todas essas!

Ou a gente se manifesta,
ou a gente se organiza.
Nos mobilizamos na universidade...
Enfim!
Por que sabem o que irá acontecer no futuro?
Todos nós ficaremos lamentando por coisas que
teriamos que fazer. Ta na hora de mudar isso.
O D.C.E ta aí pra isso, proucure o seu grêmio,
e tome atitude em consideração a isso!!

Acorda Brasil!!

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

Cazuza - Brasil


Brasil
Mostra tua cara
Quero ver quem paga
Pra gente ficar assim
Brasil
Qual é o teu negócio?
O nome do teu sócio?
Confia em mim!

Sem paciência pra postar hoje!

Mas leia esse trecho da música e reflita!

terça-feira, 26 de fevereiro de 2008

Drogas, uma questão não ideologica?

Falo, não falo!
Faço, não Faço!
Há dias que tentamos fazer,
Há dias que nem tetamos.

Qual é o problema da droga?
Um problema de saúde púlblica,
De econômia, ou familiar?

A forma não contém conteúdo
e o barulho agudo me enjoa.
As cores são sempre as mesmas.
A ânsia de parecer agradável é falsa e nítida.
Porque tenho que aceitar?
Os valores são conservadores,
As idéias desprovidas de originalidade.
A vontade na verdade é de correr e sumir daqui.
Vou sair pra beber alguma coisa.
Álcool é droga ??
Tabaco é droga ???
Maconha é droga ???
Valiun é droga ????
Novalgina é droga ???
Lsd é droga ????
Aspirina ???
Qualquer remédio para emagrecer ????
Quem somos nós agora.

Essa tal matéria de filosofia ta me deixando louco.
Louco da cabeça,
Louco do coração,
Louco de todas as formas que se possa imaginar.
Finalmente terminei esse trabalho!

Mas ficou a dúvida?
A droga é ideológica ou
Contra ideológica.

Tenho que pensar nisso pra poder falar amanhã.
A droga não induz,
Fala a verdade,
Desperta a consciência.

Será que falo ou não falo!
Será que é isso mesmo que a professora quer ouvir?

Cansei!!!!

Vou dormi, tenho que pensar melhor nisso!

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2008

O que eu penso?

Parece que a aula de filosofia foi pra mim. Tenho que refletir muito sobre as coisas. Não pelo fato de que só faço coisas não agradáveis, mas sim, coisas que penso em estar bem. Tenho que aprender a não me intreter com as coisas. Tenho que ter opniões próprias sobre coisas que me iteresam e coisas que me dão vontades de falar. Queria ter a capacidade de falar, gritar a minha voz para o mundo ouvir. Gostaria de ter a oportunidade de ir no planalto central falar. Mas falar o que?


Não tenho idéias nem para escrever. As coisas que escrevo só ficam aqui. Não consigo impor numa conversa, numa aula, num debate qualquer. Às vezes isso me intriga. Eu sou muito calado na minha e não tenho comunicação com as coisas. As coisas que eu sei ficam comigo e não falo com ninguém. Apesar de saber das coisas fico calado, como se não soubesse de nada. Se as pessoas quiserem saber o que eu penso da situação do mundo vai ter que ler isso. Não tenho como falar em uma conversa. Eu me perco todo. Se elas soubessem que tenho tantas coisas para falar. Uma vez estava numa coversa e me perguntaram sobre o que eu sabia sobre política, questão sociais, o que fazer para melhoria do mundo. Coisas desse tipo. Cara eu fiquei sem palavras, totalmente enrrolando, os outros achavam que eu não sabia de nada, mas acho que todo mundo sabe de tudo um pouco. Se eles soubessem o que eu tinha pra falar. Vocês realmente querem saber o que eu acho disso?

"Pra mim na verdade nós somos guiado por um processo onde martelam na nossa cabeça de que nenhuma manifestação que a gente possa fazer vai dar em alguma coisa. Sempre quando alguém tenta se manifesta pra alguma coisa, as pessoas falam: ha! isso aí não vai dar em nada, é pura viagem, coisa de maluco ou de idiota. Acha que pode mudar alguma coisa?

Eu acho que o papel da juventude sempre foi um papel ativo, onde as pessoas raciocinam por conta própria, pensam e estão antenadas com algum tipo de literatura que as façam refletir. E às vezes se apegam demais só ao que estar sendo colocado nos jornais, nas rádios e nas tevês. Acho que as pessoas não deveriam buscar informações só nesses lugares. Deviam infiltrar suas informações e acima de tudo se interesarem pelo o que estar acontecendo no país.


Por que talves hoje pra quem tenha condições de morar num condomínio, ou de freqüentar um hospital particular, uma escola particular, ou até uma faculdade particular, talvez essas pessoas não tem a consciência da dificuldade das pessoas que não tem essa mesma condição de poderem usufruir do sistema púlblico. Que é o que a gente paga, que é o que ta nos nossos impostos. Ta na hora das pessoas se ligarem, que a gente não estamos sozinhas no mundo. Quando um cara puxa o gatilho e mata uma pessoa na rua ele não é diretamente o culpado. As pessoas têm que se ligar de que essas pessoas são reflexo da falta de educação, da falta de investimento, da falta de todas as condições básicas que devem ser oferecidas aos cidadãos. Então quando falamos de política, a gente não ta ditando o que as pessoas devem pensar. A gente ta querendo que elas reflitam sobre isso. E se ela começar a refletir, pra mim já é o suficiente."

T.S.C


"Onde falta educação, sobra violêcia"