domingo, 18 de março de 2012

Eu tentei

Eu descobrir que a paixão dele tinha terminado quando o vi olhar para aquela mulherzinha do apartamento em frente. Há dias venho seguindo os seus passos e percebendo o jeito como reage as minhas conversas. Ele não corresponde mais aos meus sorrisos, aos meus carinhos, a minha forma de amar. Sabia que já o tinha perdido, mas não queria me convencer dessa derrota amorosa que a vida nos dar. Faço ginástica para manter o corpo perfeito, uso roupa sexy, assisto futebol, cozinho sua comida preferida. Tentei investir tanto em nossa relação, mas não adiantou nada. Procurei até a Mãe Delamare pra ver em que situação me encontrava. Foi dinheiro perdido quando a ouvir dizer que ele ainda gostava de mim. Papo furado.

Semana passada fizemos sete anos de casados. Ele não podia sair para jantar, disse que estava ocupado com o trabalho. Nem sei porque ainda estamos juntos, levando aos trancos e barrancos nosso casamento. Tenho que desaprender a amar ele ou fazer com que ele goste de mim novamente como antes. Sonho em ter alguém ao meu lado por toda vida. Talvez devesse me apaixonar novamente. Por isso que hoje, ao acorda, quis mudar o rumo e seguir um caminho diferente, estava na hora de mudar e perceber que poderia tentar algo prazeroso que me fizesse esquecê-lo. Não sei não, mais nunca pensei em traí-lo, e isso não supre a minha vontade de vingança. É muito barato pagar na mesma moeda. Pensei em sumir, mais aí eu é que iria ficar sofrendo por que pensaria nele. Safado do caralho.

Talvez eu devesse conversar com ele e terminar logo. É, é verdade. Já sofri demais, e não me arrependerei nenhum pouco de tomar essa atitude. Poderíamos ter um casamento bem legal, divertido, apaixonante em que um ajudasse o outro. Se ele não percebe essas pequenas falhas, eu é que não tenho que ficar lembrando. Decidir ser sozinha. Ele que fique com essas raparigas sem amor próprio. Eu hoje tenho isso de sobra.