sábado, 21 de julho de 2012

Logo ali.



*Navegar, sempre navegar... em direção a tudo que amamos.

terça-feira, 17 de julho de 2012

A tendência é sempre melhorar

A diferença? A diferença deve ser tudo isso que vejo por aí. Ainda não sei ao certo se é tudo, mas me certifico de que seja algum ponto. Possa ser que eu seja o ponto de partida dessa diferença. Por isso acho tudo diferente. Vejo que é difícil começar tudo novamente. Leio as palavras daqui e percebo que falhei (ou não). As coisas nunca saem exatamente como planejamos e os sonhos serão sempre sonhos se deixarmos passar (deixei passar muitos e alguns tenho orgulho de dizer que conquistei). Você vai construindo aos poucos sem querer abrir mão de perder o que já tem, e as quais você perde, tem outras melhores no lugar delas. Hoje vejo que meus pensamentos são completamente diferentes de anos atrás, mas ainda assim os considero imaturos com um ar de que eu não sei nada sobre nada, e é verdade.

Sinto que melhorei bastantes com o passar desse tempo e que sou muito para o que eu era. O engraçado é que ainda não sou nada e nem tenho nada do que eu queria naquele tempo, mas tenho outras coisas que foram aparecendo e me sinto tão bem com elas. Nessa minha nova mudança, as dúvidas são muitas, os pensamentos rápidos e o tempo pequeno demais. Há também novas regras e novos problemas (sempre iram ter). O de mais ainda não sei, mas o de menos disso tudo é se acostumar.

O mundo está mudando tão rápido que nem percebemos; as palavras daqui estão mudando também. Dizem que somos o que escrevemos, mas ainda não sou uma coisa fixa para escrever o que sou. Procuro mudar com tudo e com todos para ser alguém e isso é difícil já que estamos seguindo sempre em frente. Sento para escrever o que realmente sou e aparecem várias referências, muitas ideias, visão de mundo completamente diferente que já vivi. A gente quer sempre viver como nós mesmo e acabamos vivendo como os outros, pelo menos os quais admiramos. E quando somos os que admiramos, a tendência é sempre melhorar.

 Às vezes eu sou tu, mas gosto de ser eu mesmo: o bernard. Valeu blog por existir. Tenho que continuar caminhando nesse recomeço.

terça-feira, 10 de julho de 2012


Eu que experimentava uma sensação boa só pelo fato de estar com ela, não queria que o tempo existisse. Éramos como um livro sem fim, em que a história continua nos pensamentos. 

domingo, 1 de julho de 2012

Você

Eu que já não consigo ser eu, sou você.
Sou você por todos os instantes.
No respirar, no pensar, no sentir, no fazer.
Sou você porque sei que já não consigo viver sem você.
Sou suas palavras, sou seus sentimentos.
Mesmo que eu saiba que eu serei eu sempre,
Digo para mim mesmo que sou você...
E isso é maravilhoso.